terça-feira, 1 de novembro de 2011

QUANDO A CORAGEM VENCEU O MEDO - DISCURSO DE POSSE



Estimados membros da gestão cessante e das demais chapas,
Colegas da Universidade de Brasília,
Amigas e amigos presentes,
Boa tarde,

"Todas as coisas brilhantes e virtuosas derivam do trabalho de indivíduos que puderam criar em liberdade". Einstein

É, para nós, uma honra ter recebido um voto de confiança das e dos estudantes da Universidade de Brasília - que escolheram o projeto de uma UnB Livre como diretriz norteadora. Agradecemos a lisura do processo eleitoral, em especial à Comissão Eleitoral, nas pessoas do Fernando, Gustavo Cuia, Heitor, Lázaro, Leandro, Micha e Tatiane.

Somos mais do que rótulos, somos princípios. Queremos fazer uma UnB mais livre, lutaremos até o fim por isso.

Ao assumirmos o Diretório Central dos Estudantes Honestino Guimarães, assumimos a responsabilidade de honrar seu nome. Honestino foi um estudante que, assim como nós, se indignou com os absurdos ao seu redor. Sob o manto repressor da ditadura militar, Honestino lutou e morreu por princípios maiores: por democracia, por igualdade de direitos, por li-ber-dade.

Enganaram-se aqueles que, com base em estereótipos, preconceito e ignorância, achavam que esse DCE passaria a se chamar DCE Luís Inácio Lula da Silva - ou DCE Fernando Henrique Cardoso. Aqui assumimos publicamente o compromisso de que o Diretório que carrega o nome Honestino Guimarães não esquecerá seu dever histórico: a luta por liberdade.

Nossa primeira responsabilidade é com aqueles que dependem de assistência estudantil para poder continuar seus estudos. Bolsa permanência, moradia estudantil e alimentação dos estudantes Grupo 1 e 2, inclusive por meio de RU em todos os campi, é um dever da Universidade. Mais de uma vez falamos que o mérito é um de nossos princípios. Portanto, nada mais justo que a Universidade recompense aqueles alunos que, sabemos, pelos diferentes pontos de partida, enfrentaram maiores dificuldades para conquistar o limitado acesso à Universidade pública. Essas lutas também são nossas.

Além disso, precisamos nos preocupar com o cotidiano universitário para permitir que a UnB cumpra sua missão, qual seja: “produzir, integrar e divulgar conhecimento, formando cidadãos comprometidos com a ética, a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável.” Um espírito de conservadorismo espúrio tem afastado a Universidade de sua missão. Somente com o rompimento de preconceitos ideológicos poderemos: aumentar os recursos para pesquisa e inovação; apoiar o aprendizado prático, a responsabilidade sócio-ambiental e o empreendedorismo através de empresas juniores e projetos de extensão; garantir a segurança e integridade física dos estudantes, professores e funcionários; e assegurar os devidos investimentos em infra-estrutura que combinem uma expansão universitária que não atropele o objetivo de excelência acadêmica.

Sabemos que a UnB tem uma vocação de pluralidade. O DCE representa os estudantes. Contudo, seria petulante e autoritário achar que as iniciativas estudantis se resumem àquilo que determina o DCE. Entendemos que o DCE deve apoiar as iniciativas estudantis. O DCE deve servir aos estudantes - e não dirigi-los.

Por este motivo, temos a plena convicção de que os diversos grupos, coletivos e indivíduos que compõem a comunidade acadêmica continuarão a levantar causas importantes em todas as esferas da realidade. Serão causas múltiplas, diversas, contraditórias. É da pluralidade, das diferenças, do debate que deriva a beleza da liberdade.

Alguns alegam que os 1280 votos que nos elegeram não seriam suficientes para garantir a representatividade da gestão. Concordamos que isso seja um problema. Mas, problema maior é o fato de que dos cerca de 33 mil estudantes da UnB, 27 mil escolheram não votar. Há, de fato, uma crise de representatividade no DCE. Mas essa crise de representatividade é do sistema representativo. Esse é nosso diagnóstico - e é por isso que apresentamos uma proposta de DCE parlamentarista: para que os que não se sentem representados tenham voz. Entregaremos nossos cargos no momento em que o Parlamentarismo for aprovado, pois nosso projeto nunca foi um projeto de poder, nosso projeto é um projeto de potência.

Assim, assumimos outro compromisso em nome da nova gestão do Diretório Central dos Estudantes. Não fecharemos a gestão a outros grupos. Nenhum sistema representativo é perfeito, mas os resultados serão muito melhores com respeito mútuo, diálogo, trabalho conjunto e tolerância.

Mesmo dentro dessa enorme pluralidade, há interesses comuns a todos os discentes da UnB. Todos querem que essa Universidade atinja plenamente o seu potencial. É uma questão inclusive de respeito à sociedade que a financia com tanta dificuldade. Mais de um bilhão de reais são investidos na UnB à cada ano. O mínimo que podemos fazer é nos esforçarmos para que ela esteja entre as melhores do mundo! Tão evidente quanto o potencial da UnB é que ele não se concretiza só com ideias. Delas precisa surgir uma postura de irresignação, de união, de trabalho conjunto de onde surgirá a transformação da UnB, do Distrito Federal e do Brasil.

Como afirmamos no começo, a nossa essência são os nossos princípios. Mas, se nossa essência são nossos princípios, nosso corpo é nosso trabalho. Que nos tomem por nossas ações e assim entendam nossos princípios, não o contrário.

O trabalho já começou e quem quiser ajudar é muito bem vindo, há muito a ser feito. Vai ser difícil, nós sabemos, mas vai compensar. A UnB tem tudo para estar no topo. Essa gestão trabalhará porque cada um de nós acredita nisso! Mesmo que alguns tentem impedir esse trabalho, continuaremos lutando. Em respeito aos nossos eleitores, em respeito a todos os alunos e alunas, à comunidade acadêmica e à sociedade brasileira. Continuaremos lutando por uma UnB livre, inclusiva, plural e de excelência.

''A posteridade poderá saber que não deixamos, pelo silêncio negligente, que as coisas se passassem como num sonho'' (Richard Hooker)

Viva a UnB e viva a liberdade! Obrigado!

Davi Brito,
Presidente da Aliança pela Liberdade.

9 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns. Está no rumo certo.

Anônimo disse...

*DCE walking*

˜˜˜A wild LIBERTARIAN appears˜˜˜

DCE uses THE GERMAN IDEOLOGY... is is not very effective
LIBERTARIAN uses THE ROAD TO SERFDOM... DCE falls asleep
DCE is asleep
LIBERTARIAN uses REASON

DCE has been captured

João Telésforo disse...

Muito bacana que vocês se proponham a priorizar a assistência estudantil. Aliás, conhecem a cartilha sobre assistência estudantil feita pela última gestão? A evocação da luta de Honestino foi bacana no discurso. Sobre Einstein, que foi citou, um detalhe: liberdade, sim, com socialismo. Einstein era socialista. :) V. texto de Einstein, de 1949: "Por que socialismo?". http://brasiledesenvolvimento.wordpress.com/2010/08/15/por-que-socialismo/

Anônimo disse...

Sou de São Carlos - SP e acompanho a UNB pelo Reynaldo , fiquei feliz de voce teem vencido os que estão detonando as Univesidades federais do Brasil.
Que realizem um otimo trabalho e deem exemplo para nosso país sobre uma administração seria competente e qum sabe consigam até mudar a UNE que também acabou.

Lorys disse...

Finalmente, uma gestão voltada para os estudantes e para os objetivos da instituição.
Nossas esperanças de uma UnB melhor, livre desse conjunto de ideologias e práticas da vanguarda do atraso, estão com vocês.
Espero que consigam materializar as propostas da chapa. Boa sorte e força! =)

Deco disse...

Obrigado Lorys e anônimos!!! Contamos com o apoio e crítica de vocês!

Grande Telésforo, como já te disse, Einstein não podia estar certo em tudo. Ele tinha de ter algum defeito grave. heheeheh De toda forma, curioso que em pleno Pós-Guerra o "socialista" tenha optado viver nos EUA e ser estrela eterna de Princeton. Algo deve tê-lo feito rejeitar acolhida em Moscou. Talvez fosse uma palavrinha: LIBERDADE.

No mais, obrigado pelas gentis considerações.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Um discurso que diferencia mulheres e homens de meninas e meninos. Vocês têm a maturidade de grandes líderes. Não decepcionem seus colegas e a sociedade brasileira.Sim, vocês já são referência nacional. Estou de passagem por Brasília e fiquei impressionada com essa linda história! PARABÉNS! Cumprimentos de uma admiradora do Pará.

Korontai disse...

Caros líderes do novo DCE,

Antes de qualquer coisa, quero parabenizar a todos que lutaram e venceram para que o radicalismo fosse, finalmente, defenestrado de tão importante posição. Tal vitória repercutiu em todo o País e os que amam a Liberdade vibraram junto com vocês, incluídos os federalistas.

Coloco à disposição as idéias federalistas, cujo modelo proposto abre caminhos para que a verdadeira liberdade se institua no País, não por milagres ou arroubos libertários, mas pela simples descentralização e subsidiarização dos poderes e recursos - www.federalista.org.br

Não há como fazer transformações no Brasil sem frentes partidárias, a questão é com qual ou quais, e quais os propósitos. Os contrários à liberdade e proponentes de idéias de supressão da liberdade e da propriedade, com a destruição da Sociedade como a conhecemos não desistirão. Acredito até que vocês estejam enfrentando muitas pressões, então, não basta resistir, mas agir objetivamente. Estou à inteira disposição para conversar com vocês, inclusive indo à Brasília.

Mais uma vez, parabéns!
Cordiais saudações federalistas
Thomas Korontai
Partido Federalista
Presidente

Blog da Liberdade