sexta-feira, 23 de julho de 2010










NOSSAS PROPOSTAS.

Excelência acadêmica como Liberdade. É com esse princípio norteador que a Aliança pela Liberdade vem a público anunciar sua candidatura a Representação Discente da UnB (RDs). Vote chapa 5!

Neste ano fomos buscar na obra do prêmio Nobel de Economia Amartya Sen a inspiração para nosso programa de campanha. Enquanto o grande economista indiano defendia que a liberdade é o principal meio e o principal fim para o desenvolvimento, nós (posto mais modestos) defendemos que a Liberdade é o principal meio e fim para a excelência acadêmica.

Nossas propostas se dividem em três partes. A primeira delas são as propostas de melhoria do ensino. O segundo grupo incorpora medidas de melhoria da vida acadêmica. Por último, mas não menos importante temos as propostas de melhoria da Administração da Universidade.

Antes de tratar de cada uma dessas partes com maior profundidade gostaríamos de expressar nossa razão de ser e nossos princípios políticos. Dentro do movimento estudantil tradicional é comum assistirmos os grupos se digladiando de forma feroz em querelas ideológicas e partidárias. Reacionário, progressista, conservador, pelego, governista, direitista, neoliberal e na UnB, sempre enriquecendo o vocabulário político, ainda ouvi-se thymotista (em referência ao ex-reitor).

A Aliança pela liberdade não entra em disputas virulentas e infrutiferas como essas. Não importa se a chapa é de direita, de esquerda, se é de cima ou de baixo, de ladinho ou de quatro... O que importa são as propostas, só com elas é que conseguiremos tornar o movimento estudantil mais democrático e mais próximo das demandas da maioria dos estudantes.

a) Propostas para melhorar o Ensino.

Como em qualquer ambiente democrático, a Universidade comporta uma diversidade enorme de grupos com visões de mundo distintas e que representam indivíduos com interesses também distintos. Se queres saber a qual partido pertence a Aliança, a resposta é simples: o partido dos estudantes que vieram a UnB para adquirir e produzir conhecimento.

A aliança representa o estudante que veio a UnB em busca de excelência acadêmica, o que passa pela qualidade do corpo docente, qualidade das instalações, qualidade da pesquisa, opções de projetos de Extensão, fortalecimento das empresas juniores e pela presença das fundações de apoio.

Quanto essa última, as tão comentadas fundações, temos uma postura muito clara e muito coerente. As fundações incrementam os recursos disponíveis para pesquisa dentro da Universidade, dando assim mais opções de projetos. Não alimentamos nenhum tipo de rancor contra as empresas privadas que firmam parcerias com as universidades. Trata-se de um convergência de interesses onde todas as partes podem ganhar: a universidade recebe recursos extras para pagar bolsas e equipar laboratórios, os estudantes ganham mais opções de pesquisa e pode por em prática o conhecimento e as empresas, por sua vez, ganham com o resultado prático da pesquisa.

b) Propostas para melhorar a vida acadêmica.

Além de ter uma universidade que nos prepara para nosso futuro, a Aliança considera fundamentais as propostas de melhoria do cotidiano do estudante. Aqui incluímos propostas de mais laboratórios de informática, wi-fi (sinal de Internet sem fio em TODOS OS CAMPUS), aumento das concessões na universidade (mais opções de restaurantes, lanchonetes, livrarias, copiadoras e etc), assistência aos estudantes carentes e, sobretudo, segurança no campus.

Não vemos nenhum motivo para que não tenhamos a presença da PM no campus. Sabemos do histórico dessa universidade em décadas passadas, quando a polícia (a mando de governo autoritário) era utilizada para perseguir estudantes considerados subversivos. Virada essa página trágica de nossa história, hoje vivemos num Estado Democrático de Direito. Decerto que abusos por parte da polícia são possíveis, mais os riscos de não termos a polícia são ainda maiores.

Nos últimos meses assistimos a inúmeros atentados contra a vida, a liberdade e o patrimônio da comunidade acadêmica. Os crimes foram desde furtos de pequenos valor, arrombamentos de carros, tentativas de seqüestro e um estupro. A certeza da ausência da polícia são convites à criminalidade.


c) Melhoria da Administração da Universidade.

As universidade públicas brasileiras seguem um modelo de autonomia universitária. Autonomia significa que parte das decisões que concernem a universidade podem ser decididas dentro da própria universidade pelos setores que a compõem (professores, estudantes e funcionários).

A Aliança defende que a Universidade seja sempre mais transparente e mais eficiente em seus gastos. Defendemos também a redução da burocracia e respeito as normas de convivência.

Esses são os valores que irão pautar nossa atuação nos RDs e, como propostas concretas de melhoria da Administração defendemos que a BCE tenha acento no CONSUNI. A nossa biblioteca, mesmo sendo tão fundamental para as atividades da universidade, não é representada no principal conselho da Universidade, o que explica as dificuldades financeiras pela qual ela passa.

Sobre este último tema destacamos duas questões que tem figurado no noticiário da UnB: trotes e festas. Acreditamos que a confraternização dos estudantes e a recepção dos calouros são indispensáveis. Todavia não aprovamos nenhuma medida que acabe por atrapalhar as atividades principais da universidade (ensino, pesquisa e extensão), que depredem o patrimônio público ou que violem as liberdades individuais. Não aprovamos manifestações de cunho homofóbico, assim como não aprovamos trotes violentos ou humilhantes.

O importante é que a reitoria deixe bem claro o que pode e o que não pode dentro do ambiente acadêmico (no que concerne a festas e trotes temos autonomia para definir nossas regras) e que faça cumprir as normas.

4 comentários:

Juventude Conservadora da UnB disse...

Caríssimos, tenham a certeza de que a Juventude Conservadora da UnB está com vocês! Vamos pavimentar um caminho de liberdade e excelência na UnB!

Ciência Brasil disse...

O que voces podem fazer para ajudar a denunciar o caos na UnB?

http://cienciabrasil.blogspot.com/2010/07/o-caos-e-hipocrisia-institucional-na.html

Mosco disse...

Juventude Libertária Conservadora?!

Deco disse...

Juventude Libertária.
Enfim, rótulos são realmente necessários?

Pois bem, acreditamos na cultura da liberdade, no direito de se manifestar, no direito de manifestar sua contrariedade, mas de modo respeitoso, educado, polido, equilibrado. Infelizmente, não é o que temos visto em nossa UnB. Esses vagabundos que andam sujando as paredes da Universidade com palavras de ordem podem ser chamados libertários? Jamais! Destroem o que é de todos, detonam a liberdade de outros indivíduos ao impor violenta e covardemente a "manifestação" deles.

Tudo o que NÃO queremos é "conservar" o ambiente de desrespeito e descompromisso em que vem se transformando nossa Universidade.

Blog da Liberdade